ViniPortugal apresenta: “Os 50 Melhores Vinhos de Portugal”

Por Marcelo Copello

Hoje finalmente, após meses de trabalho, anunciamos o resultado da seleção dos “50 Melhores Vinhos de Portugal para o Brasil”.

Antes de mais nada gostaria de registrar que me sinto honrado em ter sido selecionado pela ViniPortugal para inaugurar este projeto no Brasil, especialmente, tendo como companheiro Charles Metcalfe, crítico mundialmente respeitado, com quem muito aprendi.

 

Selo que será aplicado nas garrafas campeãs

 

O nascimento do projeto, no Reino Unido

O projeto “Os 50 Melhores Vinhos de Portugal”  teve início em 2004 no Reino Unido. O primeiro jornalista inglês a fazer a seleção, na época intitulada de “50 Melhores Vinhos Tintos Portugueses”, foi Richard Mayson, que é atualmente produtor de vinhos portugueses no Alentejo.

 

Sarah Ahmed “passa o bastão” a Tom Canavan

 

Os jornalistas ingleses eleitos para fazer esta seleção anual fora, por ordem cronológica:

2004: Richard Mayson

2005: Charles Metcalfe

2006: Tim Atkin

2007: Simon Woods

2008: Jamie Goode

2009: Sarah Ahmed

2010: Tom Canavan

A principal diferença ao longo destes anos foi a crescente notoriedade dos vinhos brancos portugueses. Na edição de 2004 eram apenas tintos. Em 2005 penas três brancos figuravam entre os 50 selecionados. Na edição de 2009, Sarah Ahmed, escolheu nada menos que 11 vinhos brancos! A seleção de 2010, de Tom Canavan, ainda não foi divulgada.  

Este ano, dando início à versão brasileira do projeto, com os 50 Melhores Vinhos de Portugal para o Brasil, não chegou a ser surpresa eu e Charles escolhermos nada menos que 12 vinhos brancos, além de dois fortificados e um espumante.

 

O Lançamento da Baco Multimidia

O projeto da ViniPortugal “Os 50 Melhores Vinhos de Portugal” chega ao Brasil em um momento muito especial, o do nascimento da Baco Multimídia, minha nova empresa.

Como primeiro trabalho a Baco Multimidia acaba de lançar uma revista de luxo dedicada aos vinho da terra de Camões. A edição de capa dura, “Os Melhores Vinhos de Portugal”, trás todo o universo do vinho Português, apresentando os 50 vinhos eleitos e suas vinícolas. Além disso a publicação passeia pelas regiões produtoras, mostrando o melhor do enoturismo e gastronomia, com belíssimas fotos e muitas dicas e serviços (endereços, sites, telefones e emails). Exemplares podem ser adquiridos na Livraria Cultura (www.livrariacultura.com.br)

  

Pulicação de luxo “Os Melhores Vinhos de Portugal”

 

O making-off e os critérios da seleção

 

Copello em prova de 200 vinho no Solar do Vinho do Porto no Douro

O desafio de selecionar apenas 50 rótulos em um país de tanta tradição vinícola quanto Portugal é enorme. Para tal Charles e eu provamos cada um cerca de 1.500 vinhos, em diversas viagens. Ele foi cinco vezes a Portugal e eu quatro. Em uma dessas viagens fomos juntos e equalizamos nossos critérios com a ViniPortugal, que foram:

1-Qualquer vinho português poderia participar das provas de seleção gratuitamente.

2-Um máximo de seis vinhos da seleção final poderiam não estar disponíveis no Brasil (acabaram sendo apenas cinco).

3-A lista precisava representar o conjunto dos vinhos de Portugal, como um mix de todos os estilos e tipologias, com representatividade regional.

4-Cada produtor poderia ter apenas um vinho na lista. 

5-Por sugestão minha, dividimos pela primeira vez os “50 melhores” em “Tops” e “Melhores Compras”. O vinho no Brasil infelizmente chega muito caro ao consumidor. Uma lista só de “Tops” seria dominada por vinhos caros, assim, uma sub-lista com limite de preço foi fundamental para aproximar esta iniciativa do grande público. Nesse item, nosso critério de ter como referência o valor de R$ 80. Como os preços variam muito, não temos controle sobre eles, e alguns rótulos não estão no nosso mercado, esse valor é apenas uma referência, alguns vinhos podem chegar aqui acima disso. 

Marcelo Copello e Charles Metcalfe na Quinta da Bacalhôa

 

Copello: muitos vinhos!

Após rodar mais de dois mil quilômetros fazendo grandes provas, de até 105 vinhos por dia, fiz uma pré-lista de 150 finalistas e bati com a lista do Charles. Concordamos em cerca de 80% das escolhas. A maior dificuldade foi escolher entre vinhos de um mesmo produtor. Robustus ou Redoma? Pintas ou Guru? Quinta de Foz de Arouce tinto ou branco? Oh, dúvida cruel! Chegamos a um resultado com 10 regiões representadas por 35 tintos, 12 brancos, dois moscatéis e um espumante. Eis os escolhidos!